LIRAa - Levantamento de Índice Rápido do Aedes Aegypti
logo SUS e PBH
Acessos
244399
Notícias
SMSA divulga resultado do LIRAa de janeiro

O primeiro Levantamento do Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa) em 2012 demonstra que 3,1% dos imóveis pesquisados em Belo Horizonte contam com a presença do mosquito transmissor da dengue. Ou seja, pouco mais de três, em cada 100 imóveis apresentam focos do Aedes aegypti. Esse é o menor índice apresentado no mês de janeiro nos últimos três anos.

De acordo com a padronização do Ministério da Saúde, o índice de infestação larvária recomendado para evitar epidemia é de até 1%. O LIRAa realizado no mesmo período do ano passado, em janeiro, apontou um índice de 3,8%. O último LIRAa, realizado em 2011, feito em outubro, teve um resultado de 0,7% de infestação.

 

O levantamento foi realizado em 34.320 imóveis e revelou que 78% dos focos do mosquito estão dentro dos domicílios, situação muito semelhante dos anos anteriores.

Por ser a dengue uma doença cuja transmissão é muito influenciada pela ocorrência de chuva e temperaturas elevadas é esperado um aumento do número de casos da doença, até o mês de maio, e em função disso, a SMSA já preparou o Plano de Contingência Assistencial. Trata-se de um programa de capacitação e ativação progressiva de leitos para internação e abertura de novos serviços para atendimento à população, se necessário. O plano prevê quatro fases, que devem ser implantadas conforme a demanda dos pacientes.

A SMSA executa durante todo o ano ações  de prevenção e controle da dengue: assistência aos pacientes, combate ao vetor, mutirões de limpeza e comunicação/mobilização social. As ações são para prevenir a proliferação dos focos do Aedes aegypti, conscientizar a população sobre a importância da participação de todos no combate a dengue,  reduzir o número de pessoas com dengue, garantir a assistência médica aos pacientes e evitar óbitos.

 

AÇÕES

Comunicação e Mobilização

Gincana

Uma das atividades programadas é a gincana contra a dengue. Parceria entre a SMSA e a Secretaria Municipal de Educação (SMED), a atividade será realizada de março a dezembro, em nove escolas da capital, envolvendo alunos do 3º ciclo do ensino fundamental da rede municipal.

O objetivo da gincana é favorecer o protagonismo de estudantes e comunidade escolar para a prevenção a doenças relacionadas ao lixo, como dengue, leishmaniose, leptospirose; e também incentivo à coleta seletiva e à reciclagem.

A cada mês, uma nova etapa ocorrerá nas escolas, propondo atividades na comunidade.  Nove escolas serão envolvidas, uma por regional. A expectativa é de abranger, diretamente, 1.800 alunos da rede municipal durante dez meses, que vão levar orientações para suas famílias e comunidade.

No próximo sábado (11/02), a partir das 9h,  será realizada uma gincana voltada ao reaproveitamento do lixo e combate à dengue, envolvendo toda a comunidade escolar no bairro Dom Bosco. Os aluno da Escola Municipal Dom Bosco serão orientados sobre os riscos da doença e poderão aprender se divertindo.

ACEs e ACS :  mobilizadores contra a dengue

Os ACS e ACE passaram por uma formação em Mobilização Social para favorecer a abordagem e facilitar a construção de estratégias inovadoras em suas áreas. No próximo mês, esse grupo realizará as ações dentro desses quatro bairros, agregando líderes comunitários, igrejas, associações, dentre outros.

O trabalho (piloto) foi desenvolvido nos bairros Pompéia, Sagrada Família, Horto e Paraíso, na Regional Leste da cidade. Durante a atividade, foram constituídos um grupo de trabalho para elaborar ações específicas para a situação local. Esse grupo envolve agentes de combate a endemias (ACE), agentes comunitários de saúde (ACS),  gerência regional de zoonoses, além de técnicos do MobilizaSUS-BH.

 

Mobilização em parceria com a comunidade religiosa

Fiéis das igrejas Quadrangular, Católica e Batista vão participar neste ano de um cronograma de atividades de conscientização contra a dengue. (palestras, esquetes, oficinas).

 A Igreja Quadrangular  participou do Dia D contra a Dengue, que aconteceu em novembro,com distribuição de materiais educativos entre os fiéis e juntos vão desenvolver diversas atividades durante o ano.

A Igreja Católica lança neste ano a Campanha da Fraternidade, com o tema  “Que a saúde se difunda sobre a terra”, abordando assuntos relacionados a saúde pública no país. A Secretaria Municipal de Saúde estabeleceu parceria com as pastorais para realização de 20 eventos, que devem ser realizados nas praças da capital. Nesses encontros os participantes devem ser conscientizados sobre as medidas contra a dengue, além de outras atividades que vão ser desenvolvidas durante o ano.

Público infantil também é mobilizado contra a dengue

Além disso, está sendo formulado um novo esquete voltado a crianças do 1° ciclo do ensino fundamental da rede municipal de educação para ser apresentada em teatros públicos do município. Aproximadamente, 10 escolas serão envolvidas ainda no primeiro semestre.

 

 

 

 

 

 

 

Folheteria

A SMSA produziu um novo material gráfico para conscientizar e mobilizar a população no combate a dengue. No panfleto, a população é orientada pelos ACEs a destinar dez minutos do seu dia para combater a dengue, o que também permitirá um acompanhamento do agente quando da sua visita.

Novo Hotsite

A SMSA desenvolveu um novo layout para o hotsite da dengue, com noticias diárias sobre trabalhos contra a dengue. O novo layout vai proporcionar a população uma maior facilidade em encontrar as informações, proporcionando uma melhora na visualização das atividades desenvolvidas no seu bairro e na sua regional.

Ações em todas as regionais

Cada regional vai receber ações performáticas entre fevereiro e março, como intervenção no semáforo, blitz contra a dengue, palestras, esquetes teatrais e fórum nos ônibus, obedecendo áreas de maior risco e seguindo os indicadores do Mapa de Risco – composto por vários indicadores, incluindo o LIRAa, elaborado pelo município. Entre as áreas podemos destacar - Barreiro (Tirol), Leste (Pompéia), Nordeste (Dom Joaquim), Noroeste (Glória), Norte (Tupi), Oeste (Waldomiro Lobo), Pampulha (Dom Orione), Venda Nova (Mantiqueira), Centro-Sul (Cafezal).

Empresa sem dengue

O projeto Empresa sem dengue vai ganhar força dentro das regionais. O projeto será aprimorado, com a inserção de uma referência para cada distrito. Isso aumentará o número de empresas atendidas pelo projeto, bem como sua capilaridade. Novas empresas grandes estão sendo envolvidas, como a Mannesmann e Rede Bandeirantes de Televisão.

O projeto “Empresa sem dengue” visa criar dentro das empresas um comitê para o combate à doença. As equipes, formadas pelos próprios funcionários, fazem o monitoramento dentro dos estabelecimentos, com o objetivo de evitar possíveis focos de dengue. Durante o projeto são realizados três encontros, no mínimo.

 

O Grupo também realiza palestras, apresentações teatrais e passeatas. O MobilizaSUS-BH realizou no ano passado 500 ações de mobilização contra a dengue em ruas, praças, estação do metrô, além de 34 ações em escolas públicas e privadas de Belo Horizonte e 80 palestras sobre dengue em empresas.

 

Prevenção e controle

 

Protocolo Assistencial

 

Pensando na assistência à população, a SMSA já disponibilizou o novo Protocolo de Atendimento a Pacientes com Suspeita de Dengue para o ano de 2012. O protocolo é feito com base em orientações do Ministério da Saúde e deve ser usado pelos profissionais na hora do atendimento. O objetivo é oferecer um atendimento de qualidade e cada vez mais eficaz à população. Para consultar o protocolo, os profissionais devem acessar o site www.pbh.gov.br/saude. Os protocolos também serão entregues em todas as unidades de saúde da capital, inclusive nos hospitais.

 

Ampliação do teste Rápido NS1

 

Belo Horizonte ampliou a oferta de Teste NS1 na Rede SUS-BH. Em 2011, o teste era oferecido em 10 unidades de saúde da capital (UPAs, Hospital Infantil João Paulo II e Hospital Municipal Odilon Behrens) e este ano, é oferecido também em todos os 147 centros de saúde, totalizando 157 unidades de saúde que ofertam o teste.

 

Poderão fazer o teste, pessoa com casos suspeitos de dengue, que esteja até o 5º dia do inicio de sintomas com história de viagem para outros Estado ou países até 15 dias antes do inicio de sintomas e que estejam até o 5º dia de inicio de sintomas de vem ser priorizados.

 

O teste é indicado para épocas em que há muitos casos, facilitando o diagnóstico da doença. Também é aplicado em período de maior circulação viral para o encaminhamento correto e de forma mais ágil dos casos graves ou com possibilidade de complicação.

 

Em 2011, foram realizados 197 testes rápidos na Rede SUS-BH.

 

Bonificação variável

 

Está previsto para março o pagamento da Bonificação Variável relativa aos resultados alcançados no trabalho de campo em 2011 e a manutenção dessa estratégia para 2012.

 

Todos os 1.500 agentes de combate a endemias (ACE) participam do processo e podem ganhar até um 14º salário.

O pagamento da bonificação é individual, variável e calculado com base em metas, como - cumprimento de 100% do cronograma das ovitrampas (instalação e retirada das armadilhas), cobertura do monitoramento vetorial por meio das ovitrampas, cumprimento de 100% do monitoramento quinzenal dos pontos estratégicos (pesquisa e tratamento focal e/ou perifical) e não ultrapassar o limite superior esperado ao número de casos confirmados de dengue em cada semana epidemiológica, alcançadas pelos Agentes de Combate a Endemias (ACE), durante o trabalho de controle e prevenção desenvolvido ao longo do ano.

Além dos agentes de combate a endemias, o programa também contempla os agentes comunitários de saúde e os agentes sanitários, com base no trabalho desenvolvido por cada profissional.

 

 

 

 

 

 

 

Mutirões

 

Em 2011 foram realizados 193 mutirões de limpeza nas nove regionais da capital. Em média, mais de um mutirão a cada dois dias. Nesses mutirões, foram recolhidas 1.823 toneladas de lixo e 4.507 pneus.

 

Esse ano, até o momento foram realizados 11 mutirões de limpeza. Em fevereiro serão realizados mais dez mutirões de limpeza em todas as regionais da cidade.

 

Os mutirões são realizados continuamente e a sua programação será inserida no hotsite, uma vez que a programação sempre é considerada informação mais recente. Os mutirões são realizados em parceria com a SLU (Superintendência de Limpeza Urbana) e a escolha das área obedecem a situação da dengue (mapa de risco, concentração de casos recentes em uma determinada área, aumento de índice de infestação, etc.).

 

Entrada Forçada

 

Uma outra ação de prevenção do Aedes Aegypti é a entrada forçada em imóveis fechados em que os Agentes de Combate a Endemias (ACEs) não conseguem acesso para vistoria.

 

Em 2011 foram publicados 31 endereços de imóveis: onze na Região do Barreiro, dez na Região da Pampulha, sete na Região Norte,dois na Região Oeste e um na Regional Centro-Sul. Desse total, em 17 imóveis, já foram realizadas a entrada forçada. Foram encontrados focos em 9,7 % dos imóveis vistoriados em entradas forçadas.

 

Após várias tentativas feitas para que os ACEs (Agentes de Combate a Endemias) pudessem vistoriar os imóveis, a PBH realiza a entrada forçada. Essa iniciativa só é adotada em último caso, quando são esgotadas todas as tentativas possíveis para visita aos imóveis. Após a publicação da lista de endereços no DOM, passadas 24 horas, um agente vai até o local e coloca uma notificação no portão, avisando sobre a dificuldade de entrar no imóvel. Depois de notificado, o proprietário tem mais 24 horas para entrar em contato com a Gerência de Zoonoses para resolver o problema. A Prefeitura de Belo Horizonte tem então autorização legal para entrada nos domicílios. A ação é realizada pela Gerência de Zoonoses da regional, juntamente com a Vigilância Sanitária, Guarda Municipal e um chaveiro contratado pela Prefeitura. Nesse caso, o proprietário receberá uma multa no valor de R$ 7.251,00.

 

A prefeitura também realiza a limpeza de lotes vagos abandonados, que representam risco de desenvolverem criadouros do mosquito transmissor da dengue. A multa nesses casos é de R$ 908,28. Em 2011, foram aplicados 1.391 autos de infração nas nove regionais da capital.

 

Secretaria Municipal de Saúde . Av. Afonso Pena . 2336 . Funcionários . Belo Horizonte . MG